19.9 C
Santo Antônio de Jesus

Concurso CORREIOS: edital em março? Veja o que diz o presidente

spot_img


Concurso Correios pode ter edital lançado no mês de março. Sindicato pressiona estatal para realização do certame.

Uma notícia animadora para quem está de olho no próximo concurso Correios.

Isso porque o presidente da estatal, Fabiano Silva, reconheceu que a necessidade do concurso é urgente e que ele pretende acelerar os tramites para o que o edital seja lançado ainda em março deste ano.

A informação foi divulgada durante reunião entre o presidente dos Correios e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect).

Contudo, para que o concurso seja lançado neste ano, a estatal precisa primeiro resolver gargalos importantes, como o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS), medir a mensuração de necessidades de distritos, entre outras demandas internas.

Mesmo com todas essas pendencias, o presidente se mostrou animado durante o evento que comemorou o dia do carteiro, em 25 de janeiro.

Na ocasião, Fabiano confirmou a realização do concurso para 2024.

“Iniciamos um grupo de trabalho para discutir PCCs. Nós vamos sim realizar concurso público. Eu sei que é uma demanda, que vocês estão sobrecarregados. Mas nós não podemos realizar um concurso sem planejamento. Este ano eu estou garantindo, nós vamos realizar concurso público na empresa”, disse o presidente durante o evento.

Uma das principais reinvindicações dos sindicatos é a realização de concurso público para suprir o déficit de funcionários.


Você também pode gostar:

“O concurso é urgente. As condições de trabalho estão péssimas na ECT e a direção da empresa não se mexe. Os setores lotados de encomendas e cartas paradas há meses e o pessoal tendo de ir muito além da jornada é prova disso!”, afirma a SINTECT – SP.

A empresa estatal está sem concurso público há mais de uma década, o que reforça o déficit de servidores.

Atualmente especula-se que existam cerca de 7 mil cargos vagos. Mas esse número pode aumentar ainda mais com os pedidos de aposentadoria, a expansão dos serviços e demanda crescente por serviços de postagem e frete.

Outro motivo que indica a necessidade do novo concurso é que o governo federal retirou os Correios da lista de privatizações.

Tanto os Correios, quanto outras estatais importantes não serão mais privatizadas. O anúncio foi dado em decreto pelo executivo federal em abril do ano passado.

Ao todo, sete estatais foram retiradas do Programa Nacional de Desestatização (PND). São elas:

  • Correios – Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT);
  • Empresa Brasil de Comunicação (EBC);
  • Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev);
  • Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. (Nuclep);
  • Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro);
  • Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias S.A. (ABGF);
  • Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada S.A. (Ceitec).

Sindicato alerta para risco de colapso

Recentemente, a Findect emitiu um comunicado em seu site afirmando que os Correios podem entrar em colapso caso um novo concurso público não seja realizado com urgência.

De acordo com o sindicato, o déficit de funcionários na estatal coloca em risco todas as operações da empresa, levando a condições precárias de trabalho, além, é claro, de prejudicar o atendimento à população.

“A cada dia que passa, as condições de trabalho nos Correios se agravam, tornando-se uma verdadeira bola de neve que compromete não apenas a saúde dos trabalhadores, mas também a prestação de serviços à população. O déficit de funcionários, persistente há mais de uma década devido à ausência de contratações através de concursos públicos, é alarmante”, informou o sindicato em nota.

Ainda segundo a Findect, o Correios passou de 127 mil funcionários para apenas 80 mil.

“Diante dessa crise iminente, a realização urgente de concurso público torna-se não apenas uma necessidade, mas uma responsabilidade do governo e da direção dos Correios. O silêncio e a inação são inadmissíveis diante da situação crítica que se instalou. O apelo é claro: contratação já!”, complementa a Findect.

Além das novas contratações, o sindicato ainda revela a falta de infra estrutura para o trabalho, exigindo da estatal melhores condições.

Para a Findtec é urgente que as unidades de atendimento, os centros de distribuição e tratamento recebam melhorias essenciais para garantir a eficiência e a qualidade do serviço prestado à população.

Outro problema apontado pelo sindicato é o descompasso entre a demanda cada vez maior e a estrutura atual que não é capaz de atender ao cenário moderno.

Apesar do comunicado, até o momento os Correios não se manifestaram sobre a realização de um novo concurso público.

Vale lembrar que no final do ano passado, sob a pressão de uma possível greve, a estatal atendeu as exigências do sindicato que propunha o reajuste salarial de R$ 250 para os servidores que recebem até R$ 7 mil mensais, além de um aporte no valor do vale alimentação de R$ 1.500 a mais.

Presidente confirmou edital para 2024. Imagem: Divulgação

Quais vagas serão ofertadas no concurso Correios?

O novo concurso Correios deve ofertar cerca de 5 mil vagas efetivas. A informação foi divulgada após uma reunião entre a Diretoria Executiva dos Correios e o secretário geral da Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores da ECT), José Rivaldo da Silva.

Segundo o secretário, na ocasião, foram ouvidas as demandas dos funcionários da estatal e discutida a necessidade de realização de novo concurso para suprir o déficit de servidores.

Contudo, até o momento o concurso não foi confirmado pelos Correios, nem mesmo aprovado pelo presidente da empresa, Fabiano Silva Santos.

Caso seja aprovado internamente, o pedido ainda precisa seguir para o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, sob o comando da ministra Esther Dweck, para que seja autorizado oficialmente.

Se autorizado, o concurso Correios irá ofertar vagas para nível médio e superior provavelmente para os seguintes cargos:

Nível médio:

  • Atendente Comercial
  • Carteiro
  • Operador de Triagem e Transbordo

Nível superior:

  • Analista de Correios
  • Especialistas em Correios
  • Médio do Trabalho
  • Enfermeiro do Trabalho

Qual salário dos Correios?

De acordo com o último edital, onde foram ofertadas 9.190 vagas para todo o país com oportunidades para cargos de nível médio e superior, os salários iniciais na época eram de R$ 3.211,58.

Hoje em dia, no entanto, os salários podem variar de R$ 2.179,25, para cargos de nível médio em inicio de carreira, até R$ 25.126,53 para cargos de nível superior na maior hierarquia.

Concurso Correios: quais os requisitos?

Confira a seguir os requisitos exigidos para cada um dos cargos existentes dentro da empresa brasileira:

Agente dos Correios

  • Atribuições: Executar as atribuições pertinentes aos serviços das áreas operacional, comercial e de suporte, de acordo com a atividade na qual o empregado estiver enquadrado, contribuindo para viabilizar o negócio postal da Empresa.
  • Requisitos: Nível médio.

Técnico de Correios

  • Atribuições: Assegurar a conformidade dos processos estabelecidos pela Empresa e desenvolver alternativas técnicas que visem à manutenção e ao aprimoramento dos padrões de trabalho, para viabilizar o negócio da Empresa.
  • Requisitos: Nível médio.

Especialista de Correios

  • Atribuições: Garantir a excelência dos processos estabelecidos pela Empresa, mediante a manutenção, aprimoramento dos padrões de trabalho e aplicação de práticas de mercado para a consecução dos objetivos organizacionais.
  • Requisitos: Nível médio.

Analista de Correios

  • Atribuições: Aplicar conhecimentos técnicos de sua especialidade, visando à otimização dos resultados e aprimoramento dos padrões de trabalho de sua área de atuação para melhoria dos processos e alcance dos objetivos organizacionais e a excelência do negócio da ECT.
  • Requisitos: Nível superior com habilitação legal para a profissão, com registro de classe.

Auxiliar de Enfermagem do Trabalho

  • Atribuições: Realizar as atividades próprias de auxiliar de enfermagem do trabalho, sob orientação de profissionais habilitados em enfermagem ou medicina do trabalho.
  • Requisitos: ensino médio completo e Curso de auxiliar de enfermagem do trabalho.

Enfermeiro do Trabalho

  • Atribuições: Aplicar conhecimentos técnicos de sua especialidade, focados nos Programas da área de Medicina do Trabalho, apoiando as ações para promoção da saúde, higiene e segurança no trabalho, difundindo conhecimentos sobre prevenção da saúde e proteção do trabalhador.
  • Requisitos: Nível superior em Enfermagem e Curso de Especialização em Enfermagem do Trabalho.

Engenheiro de Segurança do Trabalho

  • Atribuições: Aplicar conhecimentos técnicos de sua especialidade, visando otimizar resultados de sua área de atuação, orientando estudos e acompanhando os projetos de normas e sistemas para programas de segurança do trabalho, ergonomia e radioproteção; identificando, determinando e analisando causas de perdas decorrentes de acidentes no trabalho, estabelecendo plano de ações preventivas e corretivas, para mitigar o risco de acidentes e doenças profissionais.
  • Requisitos: Nível superior em Engenharia e Curso de especialização em engenharia de segurança do trabalho.

Técnico em Segurança do Trabalho

  • Atribuições: Aplicar conhecimentos técnicos de sua especialidade, visando otimizar os resultados de sua área de atuação inspecionando e registrando as condições ambientais e estruturais nas dependências da Empresa, elaborando informativos e relatórios sobre o assunto, bem como monitorando e orientando a utilização adequada dos equipamentos e instrumentos de utilização do trabalhador.
  • Requisitos: Ensino médio e Registro no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura, com Curso de Técnico de Segurança do Trabalho.

Médico do Trabalho

  • Atribuições: Aplicar conhecimentos técnicos de sua especialidade, visando otimizar os resultados de sua área de atuação, em especial o PCMSO/Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional e demais programas destinados à proteção da saúde dos trabalhadores da Empresa.
  • Requisitos: Nível superior em Medicina e Curso de Especialização em Medicina do Trabalho.

-Publicidade-spot_img
Conecte-se Conosco
15,575FãsCurtir
10,574SeguidoresSeguir
165SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever
-Publicidade-spot_img